SOBRE

Assim como o seu público cativo, que acompanhou de perto seus dez anos de história(s), o Jazz nos Fundos cresceu, amadureceu e se transformou. Mudou também fisicamente, para um novo espaço, bem maior, mais completo e preparado para receber os assíduos e também novos frequentadores, que cultivam em comum o gosto pela boa música.

Localizado na rua Cardeal Arcoverde – vizinho, portanto, de seu antigo endereço -, o Jazz nos Fundos passou a ocupar, desde junho, uma das duas salas de shows do novo Centro Cultural da Música Instrumental, com entrada gratuita, que conta com duas salas para apresentações: a JazznosFundos e a Sala do Autor.

De terça-feira a sábado, o CCMI (como já é chamado entre os frequentadores) costuma receber dois shows, sempre em horários alternados, de forma que o público possa escolher o som que mais lhe interessar levando em consideração o estilo e o horário das apresentações. As entradas também são cobradas isoladamente. Tudo para você, nosso público, ter total liberdade na escolha.

Como o nome já diz, a Sala Jazz nos Fundos preserva o DNA da antiga casa, com uma programação que privilegia a música instrumental e o jazz, claro. Instalada no andar subterrâneo do CCMI, a sala manteve sua tradicional miniplateia e, atendendo a pedidos, ganhou ainda pequenas mesas. Há ainda o espaço cativo para quem quer assistir ao show em pé, além do bar, de onde saem cervejas, drinks e petiscos.

Já a Sala do Autor, que fica no piso térreo do CCMI, dá ênfase à música autoral. Nesse ambiente, diferentemente da sala Jazz nos Fundos, a ideia é apreciar a música em um ambiente silencioso, em que todos possam curtir a qualidade do som e da acústica envolvida.

Como a programação das duas salas acontece em horários alternados, o público tem a possibilidade ainda de curtir os dois shows, e, para isso, ganham desconto na compra da segunda entrada. Afinal, uma das propostas que sempre nortearam a casa é oferecer música de qualidade com preços democráticos. Nada mais justo.

Quando surgiu como um speakeasy, há dez anos, o Jazz nos Fundos apresentava cerca de 16 shows por mês. Hoje, a casa irmã, JazzB, no Centro de São Paulo, e o novo CCMI elevaram esse número para 60 apresentações mensais, o que faz com que o CCMI e o JazzB tenham se transformado em um polo da música instrumental, referência em curadoria, acústica e qualidade da programação dentro e fora do Brasil.