Marmalade com Rubinho Antunes (21h30)

terça | 25_07 21h30


standards

alegre

Festa cítrica com muita calda musical!

O JazznosFundos apresenta a festa Marmalade, um grande encontro musical para ouvir muito jazz, grooves, funk e música brasileira. Nesta noite, a JAM Session é comandada pelo trompetista Rubinho Antunes ao lado de grande time de músicos. 

Uma noite de surpresas, sons e encontros inesperados e grandes momentos especiais não ensaiados!

Comandado por feras – e amigos da casa -, músicos que chegarem com seus instrumentos para tocar não pagam e se inscrevem para entrar na JAM.

Para o público ouvinte, é noite de saborear música em clima de festa!

Com Vinícius Gomes (guitarra), Bruno Barbosa (baixo), Fabio Leandro (piano),  Fernando Amaro (bateria) e Rubinho Antunes (trompete).



Ingresso antecipado: R$10

Ingresso na porta: 15

Próximos Shows:

quarta | 26_07 21h

FUSIONS | TOMATI HOMELESS TRIO (21h)

Fusions - todas as quartas-feiras - programação especial com shows e artistas que experimentam o diálogo entre diferentes gêneros como Jazz Rock, Rock, Eletrônico, Funk, Folk e NU Jazz. Nesta edição, recebemos o guitarrista Tomati que se apresenta com o THT celebrando 20 anos do Trio com Cuca Teixeira na bateria e Thiago Espírito Santo no baixo. O trio apresentará temas do CD "Live in São Paulo", composições novas e versões de seus standards favoritos. Ícone da guitarra brasileira, Tomati é conhecido internacionalmente como o guitarrista do "Programa do Jô" e nesta noite no CCMI/JazznosFundos, traz fusão eletrizante de jazz, rock, bossa nova e blues!


Carlos Nascimento, Tomati, estudou Bossa Nova com o Zimbo Trio e é Graduado no "GIT" - Guitar Institute of Technology em Hollywood, Califórnia. Se destaca por sua versatilidade, sensibilidade e conhecimento musical.


Em 1998 Tomati estreou com sua guitarra, ao lado do apresentador Jô Soares e teve oportunidade de tocar ao lado de centenas de artistas nacionais e internacionais, como Chick Corea, George Benson, Joe Satriani, Elza Soares, Ivan Lins e outros, além de apresentar seus projetos com a cantora Michelle Spinelli, com seu Power Trio e criar trilhas para o programa..


Após um sério problema de saúde em 2013, TOMATI escreveu algumas músicas inspirado nos medicamentos e sons da máquinas que o mantiveram vivo, incluindo os sons das campainhas da UTI. H1N1 e Clexane, agora são uma parte emocionante do show que ele chama carinhosamente de "Repertório Hospitalar”. O trabalho tem recebido boas críticas e unido um público de gosto variado nos shows.


Com Tomati (guitarra), Cuca Teixeira (bateria) e Thiago Espírito Santo (baixo).



Entrada: R$20

Happy Hour: chegando entre 17h e 20h pague somente R$20

quinta | 27_07 21h30

DEEP MOACIR | Tributos por Projeto Coisa Fina e Leandro Cabral Grupo

Do sertão de Pernambuco, o maestro, arranjador, multi-instrumentista, Moacir Santos, ganhou o Brasil e o mundo com a originalidade e sofisticação da “afrofusão” de sua música.
 
De Pernambuco para o Rio de Janeiro: Moacir foi aluno de Hans Joachin Koellreutter e Radamés Gnatalli e professor de João Donato, Baden Powell, Paulo Moura, Nara Leão, entre muitos outros grandes nomes e, com sua obra, marcou para sempre a música brasileira. Seu primeiro disco “Coisas” foi lançado em 1964 - absolutamente original e surpreendente -, e que foi redescoberto em 2006 - causa impacto a todos ainda hoje. Do Rio de Janeiro para a Califórnia: em Los Angeles, foi muito admirado por Horace Silver e integrou o casting da Blue Note, selo pelo qual lançou 3 discos, sendo muito respeitado nos Estados Unidos.
 
Para celebrar a obra deste mestre que revolucionou a linguagem da música brasileira, convidamos dois grupos que têm se dedicado a estudar sua obra: o Projeto Coisa Fina, big band surgida em 2006 e que vem sendo considerado um dos melhores trabalhos de resgate da obra do Moacir; e o grupo do pianista, compositor e arranjador, Leandro Cabral, que trará toda sofisticação e suingue dos temas de Moacir Santos, conectando-o a outro mestre das claves afro-brasileiras, Letieres Leite. 
  

21h30 | Projeto Coisa Fina - Tributo a Moacir Santos | Sala do Autor
 
O Projeto Coisa Fina sobe ao palco da Sala do Autor e homenageia a obra de Moacir Santos, apresentando o disco “Coisas”, e ainda outros clássicos do mestre. A big band mistura ritmos regionais como baião, maracatu e samba, com o jazz tradicional, dando um toque original aos temas.
 
Esse mergulho levou o grupo a ter o desejo de promover outros compositores brasileiros e, ao mesmo tempo, incentivar a produção de novos autores. O primeiro disco Homenagem a Moacir Santos da banda Projeto Coisa Fina foi considerado um dos melhores trabalhos de resgate da obra do maestro, conforme crítica de Lucas Nobile em matéria de capa do Caderno 2 para O Estado de São Paulo. 
 
O grupo vem realizado diversas turnês pelo Brasil e pelo mundo. Lançou o seu segundo CD, “Coisa Fina” em parceria com o Selo Sesc, que destaca composições de ícones essenciais da música brasileira, como Jacob do Bandolim, Moacir Santos, Laércio de Freitas, Theo de Barros, Guinga e Mozar Terra; e ainda compositores talentosos da nova geração como Henrique Band. 
 
Com Walmer Carvalho (sax tenor, sax soprano e flauta), Daniel Nogueira (sax tenor e flauta), Ivan de Andrade (sax alto e clarinete), Bira do Sax (sax barítono e flauta), Amílcar Rodrigues (trompete), Diogo Duarte (trompete), Dougla Antunes (trombone), Abdnald Santiago trombone Baixo Fabio Leandro (piano), Marcelo Lemos (guitarra), Rafael Ferrari (baixo acústico). Matheus Prado (percussão) e Mauricio Caetano (bateria). 
                                   
23h30 | Leandro Cabral Grupo   
    
Um dos mais mais talentosos pianistas de sua geração, Leandro Cabral, vem ao CCMI apresenta show especial dedicado ao trabalho do Moacir Santos. Leandro, que é também compositor e arranjador faz uma homenagem ao mestre Moacir e ainda ponte do trabalho de outro mestre, Letieres Leite. Ricas e inusitadas texturas, ambiências e sensações acontecem com frescor. O repertório se compõe entre as im- portantes composições dos dois mestres além de novos temas autorais de Cabral.

Considerado por Leandro um divisor de águas na música, Moacir traz de forma única a tradição africana, afro-brasileira e afro norte americana. Ao lado de grande time, Leandro mergulha na liberdade jazzística de criação característica em seu grupo e se alia à linearidade do pulsar das claves negras criando atmosferas heterogêneas.                     

Leandro lançou seu segundo álbum ‘Alfa’ pela Universal Music e tem recebido inúmeros elogios da crítica especializada no mundo todo, além de ser indicado em importantes listas de “melhor disco de jazz de 2016”, como a do crítico musical Carlos Calado e do site italiano Argonauta Magazine..

Com Leandro Cabral (piano), Sidmar Vieira (trompete), Jefferson Rodrigues (saxofones e flauta), Robson Tavares (baixo elétrico), Vitor Cabral (bateria) e Ricardo Braga (percussão). 


Entrada: R$25

Lista de Desconto: com nome na lista os primeiros 15 clientes a chegarem ganham uma cerveja long neck!

sexta | 28_07 22h

Blackalbino (22h) e Cosmopolita (24h)

Noite de funk, soul e atmosfera sonora das décadas de 60 e 70 com Blackalbino - banda que vem se destacando pela vibrante performance no palco -  e Cosmopolita, quarteto que reune brasilidade e latinidades junto ao funk, psicodelia e improvisos jazzísticos.


22h | Blackalbino | Sala do Autor

Com corpo e presença de palco alucinantes, a performática banda paulistana Blackalbino, traz o melhor do Soul e Funk Contemporâneo mundial. O grupo é inspirado em artistas como Screamin Jay Hawkins e Otis Redding e apresenta grandes clássicos e composições autorais, com ritmo e frenesi contagiantes, que não deixa ninguém parado.

Requisitada por grandes marcas como Jaguar Land Rover, Martini e Montblanc, a Blackalbino participou do Coletivo Stella Artois SP e do RJ se tornando a grande atração dos eventos.

Com Alex Albino (vocais), Cisco Vasques (guitarra), Tomas Oliveira (baixo), Leonardo Rosa (bateria), Ray Izeppi (trompete) e Adriano Lil’Pen (sax).

24h | Cosmopolita | Sala JazzNosFundos

O quarteto paulistano Cosmopolita é formado por Zé Ruivo (piano elétrico, órgão e sintetizador), Dani Andreotti (guitarra), Gustavo Sato (baixo acústico e elétrico) e Bruno Tessele (bateria). O grupo mergulha na atmosfera sonora das décadas de 60 e 70, inspirados em referências como Lee Morgan, Grant Green, The Meters, Milton Banana e Moacir Santos.

Brasilidades e latinidades se fundem ao funk, psicodelia e improvisos jazzísticos, de forma espontânea e divertida. No repertório, temas autorais são mesclados com boogaloos, sambas de gringo, grooves "lado b", salsas para exportação e outros ritmos dançantes da época.

Com Zé Ruivo (piano elétrico, órgão e sintetizador), Dani Andreotti (guitarra), Gustavo Sato (baixo acústico e elétrico) e Bruno Tessele (bateria).



Entrada: R$30

sábado | 29_07 22h

Emiliano Sampaio e Soundscape Big Band (22h) e Ari Borger Trio (24h)

A Uma noite de muita maestria! Às 22h o guitarrista, trombonista, compositor e arranjador Emiliano Sampaio terá o prazer e a honra de reger a  Soundscape Big Band, uma das mais relevantes bandas brasileira. Às 24h, o pianista e organista com mais de 20 anos de carreira Ari Borger virá com seu trio explorar as inúmeras possibilidades timbrística de dois instrumentos muito especiais: o órgão Hammond B3 e o piano Rhodes.

22h | Emiliano Sampaio e Soundscape Big Band | Sala do Autor

A Soundscape é uma das mais relevantes bandas brasileiras, seus músicos já tocaram com artistas de renome como Maria Schneider, Dee Dee Bridgewater, Lee Konitz, Billy Eckstine, Dianne Schuur, Regina Carter, Orquestra Hampton Lionel, Tom Jobim, Ivan Lins, Milton Nascimento. Nessa apresentação a Soundscape Big Band tem o grande prazer em dividir o palco com guitarrista, trombonista, compositor e arranjador Emiliano Sampaio. Numa parceria inédita, Emiliano regerá a  Big Band, tocando suas novas composições e arranjos e apresentando, pois, uma linguagem contemporânea que transita entre a música clássica, o jazz e a música brasileira.

Emiliano mudou-se para Áustria em 2012 para estudar composição para orquestra na Universidade de Graz e lançou quatro discos dedicados à música instrumental, recebendo dois reviews quatro estrelas e excelentes críticas da revista “Downbeat” em 2016. 

Com Júnior Galante, Paulo Jordão, Daniel D'Alcântara e Sidmar Vieira (trompetes), Paulo Malheiros, Jorginho Neto, Marcelo Boom e Jaziel Gomes (trombones), Josué dos Santos, Vitor Alcântara, Samuel Pompeo, Jefferson Rodrigues e Luiz Neto (saxofones), Djalma Lima (guitarra), Bruno Migotto (contrabaixo), Edson Santanna (piano), Cuca Teixeira (bateria) e Emiliano Sampaio (composições, arranjos e regência).

24h | Ari Borger Trio | Sala JazzNosFundos

Ari Borger é pianista, organista e aficcionado por dois instrumentos muito especiais: o órgão Hammond B3 e o piano Rhodes. Um dos principais pianista de blues do Brasil, Ari celebra 20 anos de carreira, com cinco discos lançados e elogios entusiasmados da crítica nacional e internacional. Abriu shows para lendas vivas como B.B.King, se apresentou nas maiores casas de New Orleans, tocou com mestres como Johnnie Johnson e Pinetop Perkins e recentemente no Cincy Blues Fest – maior festival de Piano Blues e Boogie Woogie dos USA. 
Na apresentação, o trio mostra temas instrumentais num mergulho na obra de mestres da Blue Note Records, lendas do Blues e Boogie Woogie e temas autorais são apresentados através de uma sonoridade impecável, dosando feeling e virtuosismo.

Os músicos que o acompanham formam uma verdadeira seleção nacional do Jazz e Blues – Marcos Klis, baixo acústico e Humberto Zigler, bateria, mostram um entrosamento incrível. Releituras instrumentais passeiam por clássicos de Ramsey Lewis, Professor Longhair, Ray Charles, Herbie Hancock, Pete Johnson e Oscar Peterson entre outro, levando o espectador a uma verdadeira viagem musical. 


Com Ari Borger (piano Rhodes), Marcos Klis (baixo elétrico) e Humberto Zigler (bateria).



Entrada: R$30

sexta | 04_08 22h

Deep Miles | Tributos a Miles Davis por Daniel D'Alcantara Quinteto (22h) e Maycon Mesquita Quinteto (24h)

Atendendo a pedidos, mais um Deep Miles para os fãs de um dos maiores magos do jazz de todos os tempos. Nesta noite, um breve mergulho na obra deste grande nome do jazz com tributos prestados por dois exímios trompetistas brasileiros - Daniel D’Alcântara cobrindo sua obra da década de 60 e Maycon Mesquita, a de 80.

Trompetista, compositor, band leader, Miles Davis (26 de maio de 1926 – 28 de setembro de 1991) foi fundamental na história do jazz. Transitou por várias fases do gênero - Bebop, Cool Jazz, Hard Bop, a chamada “Liberdade controlada”, o electric jazz, hip hop jazz - sempre sinalizando caminhos e evoluindo esta música. Tornou-se um ícone mundial em vida, um reconhecimento pouco comum para um instrumentista negro naquele momento. Diz-se que, em certo período, foi o mais bem pago músico de jazz. Por vezes controverso, polêmico, sempre genial, foi um representante importante da luta dos negros contra o racismo.

A música de Miles tinha uma profundidade, uma intimidade muito original para trompetistas. O uso da surdina, o ataque impreciso, o jazz modal, o uso do silêncio - elementos que traziam à sua performance uma aura de mistério, sofisticação e proximidade.


22h | The 60's por Daniel D'Alcantara Quinteto | Sala do Autor


Daniel D’Alcântara presta sua homenagem com temas de Miles compostos com o que hoje conhecemos como seu segundo grande quinteto, trazendo temas inesquecíveis como ESP, Agitation, Footprints, The Sorcerer. Milestones.

“Neste tributo ao gênio e importante divisor de águas no universo artistico, Miles Davis, pretendo mostrar um pouco do período (na minha opinião) no qual Miles foi mais criativo e inovador (anos 60) onde o espaço e liberdade para a criação individual e coletiva estava exalando pelos poros destes geniais integrantes do Quinteto (Herbie Hancock, Wayne Shorter, Tony Williams e Rom Carter). Tudo que foi feito neste período influencia até hoje o que é feito na atualidade”. Daniel D’Alcântara.


24h | The 70's & 80's por Maycon Mesquita Quinteto | Sala JazznosFundos


Maycon Mesquita, ao lado de Michel Leme, Gabriel Gaiardo, Sidiel Vieira e Jônatas Sansão presta sua homenagem à fase dos anos 70 e 80 de Miles Davis.

"Neste tributo ao grande trompetista Miles Davis, que em minha opinião é um dos maiores nomes da música instrumental, tocaremos músicas com o conceito dos anos 70 e 80 onde Miles, além da improvisação livre, explorou uma linguagem mais voltada para a música eletrônica e POP", Maycon Mesquita.

Com Maycon Mesquita (trompete), Michel Leme (guitarra), Gabriel Gaiardo (piano), Sidiel Vieira (contrabaixo)  e Jônatas Sansão (bateria).


Entrada: R$35